Crédito Habitação – É hora de Planear o Futuro!!!

Recentemente temos vindo a presenciar diversas noticias sobre o potencial aumento do principal indexante no crédito habitação. Na verdade, desde Março do corrente ano que este indicador está em ascensão sem apresentar indícios de que o ciclo crescente tenha atingido um ponto de inflexão que o permita estabilizar.

Diversos analistas consideram que até o ano de 2013 iremos possuir aumentos consecutivos podendo mesmo este indicador atingir valores 5 vezes superiores aos actuais estabelecendo assim valores verificados no decorrer do ano 2008.

De igual modo, o Presidente do Banco Central Europeu tem dado indícios de que uma correcção da taxa de referencia irá ser o próximo passo, podendo esta passar de 1% para 1,25% e ao longo dos próximos tempos e sempre com o objectivo de controlar a inflação na Zona Euro iremos, provavelmente, vivênciar novas correcções ascendentes da taxa de referência.

Tendo em conta toda esta informação, surge a dúvida se devemos ou não aproveitar esta fase de baixas taxas de juro para fixar a taxa de juro do crédito habitação por um período superior a 5 anos e se ao fixar irá directamente beneficiar de um ganho ao longo dos tempos.

No Produtos Bancários já fora analisado ao pormenor o dilema da Taxa Fixa ou Variável no Crédito Habitação, onde a taxa variável saiu em vantagem quando comparado com a taxa fixa. Pode conferir todos os artigos através das seguintes ligações:

No entanto, nenhum de nós quer vivênciar uma aumento de aproximadamente 200 euros na nossa prestação contrariando a descida pela mesma proporção que a generalidade assistiu a meados de 2009 e durante o 1º semestre de 2010.

De igual modo, se fixar hoje a taxa de juro do crédito habitação significa começar já a pagar mais 100 euros e manter a mesma prestação por mais de 5 anos consecutivos, completamente imune aos ciclos económicos por mais adversos para o consumidor que estes possam representar, poderá ser a decisão mais sensata quando comparada com um aumento potencial de 200 euros.

Assim sendo, é hora de analisar os prós e os contras e consultar o banco sobre a oferta de taxa fixa para o seu crédito habitação e em que condições poderá fazê-lo. É hora de simular cenários de aumentos considerando que o indexante irá para valores próximos de 5% e analisar as diferenças entre taxa fixa ou variável. É hora de procurar segurança e estabilidade familiar e financeira, de estipular estratégias para a redução do encargo do crédito quer via amortização antecipada quer via prazo.

É hora de regressarmos a 2008 e começarmos a analisar o que se fez nesse ano para combater as dificuldades das famílias é hora de testar, testar e tornar a testar.

Pois só assim irá estar preparado para uma eventual subida das taxas de juro.

Article Source

Sobre o autor: João - Autor da Escola de Produtos e Serviços Bancários. Produtos Bancários


Deixe o seu comentário!

Artigos Relacionados com a categoria "Crédito Habitação"

Fechar
E-mail It