Linhas de Financiamento a Empresas

Apresento abaixo as linhas de financiamento disponíveis em Portugal para financiar empresas nas diferentes fases de vida destas PME.
As linhas de crédito a PME’s permitem o financiamento para investimento ou para fundo de maneio dependendo dos casos.
Algumas destas linhas de crédito às empresas têm bonificação do estado ou alguma intervenção deste seja pela bonificação dos juros seja pela intervenção das Sociedades de Garantia Mútua (que são participadas pelos bancos e pelo IAPMEI).

Linhas de financiamento para Start-Up’s (por exemplo um Franchising) e Early-Stages:

  • FINICIA (BES, MBCP e BST): Financiamentos entre 25m€ e 100m€ com Autonomia Financeira  mínima 10% (teorica). Condicionado à aprovação e aprovação da SGM (Sociedades de Garantia Mútua), cuja garantia pode ascender a 90% do valor do financiamento. Financiamento pode ser destinado a Investimento em Imobilizado e Fundo de Maneio.
  • FINICIA (BPI): microcrédito até 25m€. Condicionado à aprovação e aprovação da SGM (Sociedades de Garantia Mútua). Financiamento pode ser destinado a Investimento em Imobilizado e Fundo de Maneio.
  • PAECPE – Programa de Apoio ao Empreendedorismo e Criação do Próprio Emprego: Microinveste até 25m€ e Invest + de 25m€ a 100m€.
  • Financiamento de Capitais Próprios: Business Angels e Capital de Risco.
  • PME Investe VI (aditamento): Limite de Financiamento até 1M€ (PME Líder) ou até 750m€ para outras PME e 50m€ para MPE (Micro e Pequenas Empresas). Intervenção da SGM.
  • Linhas de Financiamento gerais:
  • Linhas de financiamento protocolado entre a banca e as SGM’s (Sociedades de Garantia Mútua e todos os bancos: financiamento máximo de 4,5M€ (em sindicato), garantia SGM’s de 75%.
  • Outros financiamentos MLP, Leasing, etc.
  • Sistemas de Incenivos QREN (SI I&DT, Inovação e Qualificação. Podem também enquadrar Start-up.
Regra geral, estas linhas podem ter as seguintes características e garantias:

 

  • AF mínima de 10% para Start-up, 15% para outras PME (na actual conjunturta exige-se Autonomia Financeira superior)
  •  Garantias Reais a confortar os financiamentos:
  • Penhor de DP’s ou aplicações a servir de colateral
  • 1º Hipotecas em primeiro grau com rácio F/G máximo 70%
  • Outras hipotecas em 1º grau
  • Segundas hipotecas
  • Penhor mercantil (sobre equipamentos ou sobre os investimentos a realizar)
  • Penhor de quotas ou acções
  • Avais de empresas (com “interesse próprio”)
  • Avais pessoais
  • Maioria dos financiamentos tem actualmente a intervenção das SGM’s
  •  Linhas de financiamento MLP com prazos máximos de 6 anos para investimento em imobilizado e 5 anos para reforço de FM, excepto linhas PAECPE cujo prazo é 7 anos e financiamentos com hipoteca cujo prazo pode ascender a 12 anos
  • Carência de 6 meses na maioria das linhas sendo que pode ascender a 12 meses no caso de investimento justificado em imobilizado. Carência de 24 meses nas linhas PAECPE
Existem ainda outras condições que podem ser exigidas pela banca e pelas Sociedades de Garantia Mútua (Lisgarante, Garval, Norgarante e Agrogarante).Condições transversais nas linhas de financiamento FINICIA, PAECPE, PME Investe e Linhas protocoladas com SGM’s:
                – Cross default;
                – Pari Passu;
                – Negative Pledge (10%)
                – Ownership (50%)
Caso pretenda saber mais informações sobre linhas de financiamento e como recorrer a estas, entre em contacto com a Up to Start – Consultoria e Projectos de Investimento

Article Source

Sobre o autor: O Blog Portugal Start Up visa esclarecer e apoiar o empreendedorismo: http://start-upportugal.blogspot.com/ A Up to Start é uma consultora de investimentos (empresas) que visa apoiar a elaboração de planos de negócios a start-up: www.uptostart.com


Artigos Relacionados com a categoria "Produtos"

Fechar
E-mail It